Páginas

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

META AMBIENTAL BRASILEIRA DEVIA
COMEÇAR CONTRA MOTORES POLUENTES

José Carlos Cataldi, jornalista e advogado

A presidente da República abriu a conferência anual das Nações Unidas exortando os demais países a atuarem decisivamente no combate à poluição. Anunciou que o Brasil vai cumprir metas ambientais.

Poderia agir desde logo em relação a automóveis equipados com software para fraudar controles de emissões poluentes, como foram desmascarados modelos da Volkswagen e da Audi.

Já que sugeriu ações aos demais países, o Brasil deveria seguir mesmo procedimento adotado pelos Estados Unidos, Suiça, França e Espanha.

Nos Estados Unidos será proibida a venda dos modelos a diesel em 2016. Por sua vez, a Suíça anunciou a suspensão da venda de novos modelos diesel potencialmente equipados com motores adulterados, enquanto a França realizará controles aleatórios a partir da próxima semana.

Já o governo espanhol pretende cobrar da Seat, filial local da Volkswagen, o reembolso do auxílio concedido a carros fabricados com motores fraudados, vendidos durante campanhas de promoção de desempenho.

Segundo o jornal El Pais, a Seat (Volks espanhola) instalou mais de meio milhão de motores fraudados em veículos da marca desde 2009.

Fica a sugestão à presidente Dilma, vez que aqui o Amarok continua sendo vendido normalmente. Aliás, a própria Volks mundial, fazendo o mea culpa,
Já anuncia o maior recall de todos os tempo: mais de 11 milhões de veículos.

Falei e disse!