Páginas

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

PROFESSOR DESABAFA NO FACE

Fabrício Peres, professor

Tenho dores no coração quando vejo e escuto pessoas defendendo as ações truculentas e socialmente devastadoras do atual governo de São Paulo. Principalmente quando são professores, que em troca de migalhas políticas e cargos comissionados, defendem ou simplesmente omitem suas manifestações. Se queremos sinceramente mudar o mundo, temos que primeiro mudar por dentro.

Falar hipocritamente de melhorias na educação, no trabalho docente, omitindo opinião quando o assunto é governo de São Paulo é tão nocivo quanto fechar as escolas.

Vejamos todos os problemas, critiquemos e nos manifestemos contra todas as mazelas, cortes de verbas pelo governo federal, irresponsabilidades e ilegalidades com verbas públicas nos governos municipais e os ataques grotescos Impostos pelo governo estadual.

Nós, professores, de escolas públicas ou privadas, não podemos corroborar, mesmo que por omissão, com o vilipêndio estatal imposto a educação pública.

Em resumo... "Pau que dá em Chico deveria dar em Francisco, ou Pau que da em Dilma deveria dar em Geraldo", mas na prática não acontece assim.

Quando o assunto é governo de São Paulo, vejo que falta coragem até para curtir e ou compartilhar.

E assim seguimos, tanto quanto o Brasil, uma das dez economias do mundo, entre os modelos educacionais mais falidos, é o Estado de São Paulo, o mais rico do país, porém com estrutura pública educacional medíocre.

Publico já pedindo licença e desculpas por compartilhar um desabafo.