Páginas

terça-feira, 27 de outubro de 2015

UM IDIOTA PERFEITO E... PERIGOSO

Silvio Prado, professor

Conheci um cidadão que deseja matar o ex-presidente Lula. Ele quer ver o petista implodido por alguma bomba, fuzilado, enforcado e depois destroçado em pedaços, como dona Maria, a louca, rainha de Portugal, ordenou fazer com Tiradentes no final do século XVIII.

Parece que ele não terá sossego e o mundo não terá conserto se Lula, e também Dilma, não tiverem tal destino. Não tem conversa. Lula e Dilma, na sua opinião, são piores que Hitler e todos os nazistas juntos. Para ele, Lula é comunista e Dilma é terrorista. E o Brasil, um país infeliz, está sob as malhas do comunismo do PT, mesmo que sejamos o país dos latifúndios, dos bancos ganhando bilhões arrancados dos bolsos da população e a desigualdade social seja um tapa na cara de toda pessoa que tenha um mínimo de consciência crítica.

Arrogantemente, o sujeito fala em comunismo, mas nunca ouviu falar ou leu sobre Karl Marx, Engels, Lenin, Trotski ou qualquer outro personagem histórico que tenha contribuído para a formulação da teoria comunista. Perguntado sobre a Revolução Russa, talvez ele responda que a mesma aconteceu no século XVII em algum país da África e, pelo fato de ter se dado naquele continente, certamente estão explicadas e conhecidas todas as razões e causas da miséria que atordoam os africanos.

Enfim, o ódio que ele expressa nas palavras é o mesmo que vemos todo dia escapando pelas redes sociais ou em cartazes de velhinhas lamentando que a ditadura não tenha matado todos os que se opuseram ao seu regime de terror. Ódio. Puro ódio.

Em meia hora de conversa, ele não se mostrou capaz de aceitar qualquer argumento que, racionalmente exposto, tenha desmontado os absurdos em que tanto acredita. Penso que essa pessoa, fanaticamente doente, pode ser classificada como um Bolsonaro sem farda ou mandato, quadro anônimo que a extrema direita prepara para futuras ações fascistas visando consolidar-se como opção aos que enxergam na política o mal maior do Brasil.

Sem cabeça para pensar qualquer coisa original e que não contenha alternativas fora do ódio, acredito que o enlouquecido militante da direita já está devidamente apto a colocar em prática o que tanto fala, mesmo que as possibilidades que tem de matar Lula e também Dilma sejam irrisórias.

Mas não alcançando Lula e nem Dilma, não demora e seus poucos neurônios lhe apontarão outros nomes que podem muito bem satisfazer o animalesco apetite que o leva a crer que deve purificar o país exterminando pessoas que discordam de suas verdades absolutas. Por que não aplicar a “tal justiça” sobre os que estão ao seu redor e se identificam com Lula e Dilma? O que, por enquanto, o impede?

De todos os coxinhas fanatizados com os quais conversei, este superou os limites. Jovem ainda e recentemente casado, ele não parece se preocupar com as consequenciais de seus atos. O que o preenche é um ódio sistemático e profundo por tudo que lembre o PT e a esquerda. Exterminando os que considera inimigos o país normalizará o seu caminho na direção do progresso, é fundamentalmente o que ele pensa.

“Com seus argumentos, você não acha que está incitando atos de violência”, perguntei. “Não, agindo assim”, respondeu, “estou procurando fazer justiça”. “Isso é crime. Pode dar processo, cadeia”, eu lhe disse. Então, extremamente seguro, riu na minha cara. “Que cadeia?”, perguntou, como que amparado na impunidade exemplificada pela omissão das autoridades brasileiras em fazer cumprir a lei sobre quem violenta a constituição nacional prometendo matar autoridades ou propondo ditadura militar.

Em resumo, ele pensa exatamente dessa maneira e demonstra não ter noção alguma do quanto é ignorante, ridículo, truculento e perigoso. É um idiota a mais vestido de verde e amarelo, dentro de uma camisa da CBF, enrolado na bandeira, cantando o hino nacional, mão direita endurecida sobre o peito, sonhando cabeças cortadas e rios de sangue que resgatem o patriotismo perdido.

É um produto em apodrecimento que corre a céu aberto pelo esgoto produzido pela direita e sua grande mídia. Creio que ele precisa não apenas de um urgente tratamento político e jurídico, mas também psiquiátrico.