Páginas

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

CARTA CAPITAL ASSOCIA OS
ORTIZ A “LADRÕES DO FUTURO”

A edição da revista Carta Capital desta semana (11/11) traz uma matéria, nas páginas 42 e 43, que deveria ser lida por todos os taubateanos.

A novidade na matéria é a informação que “acaba de chegar à Justiça o resultado de uma investigação de três anos do Ministério Público que revela os detalhes de como funcionava um cartel de empresas envolvidas na venda de material escolar”.

Outra revelação importante da revista - “O tucano (Ortiz Junior) foi claro: precisa arrecadar entre 7 e 8 milhões de reais. A contribuição correspondia 10% dos contratos

O que mais disse o repórter Henrique Berangê, de Carta Capital?

“Ortiz Junior foi além. Se ganhasse as eleições, além da FDE, as empresas teriam acesso livre á prefeitura”.

O repórter conta que a Capricórnio, uma das empresas envolvidas no cartel, em junho deste ano da graça de 2015, “levou parte de um contrato de 722 mil reais “ para fornecer b brinquedos para a rede municipal de ensino.

A partir destas revelações de Carta Capital fica fácil entender porque a Câmara Municipal tem pelo menos cinco candidatos à presidência da Casa Dr. Pedro Costa:

Estão de olho do butim. Querem “governar” Taubaté entre seis e oito meses.

Politicamente, os vereadores estão sentindo um cheiro de cassação no ar.

Já pensaram esta urbe quase quatrocentona tendo como prefeito um Joffre Neto, um Paulo Miranda, um Pastor Nunes, um Luizinho da Farmácia ou outro qualquer?

O processo eleitoral 58738 tem novo relator e só deve entrar na pauta do TSE para julgamento em março ou abril do próximo ano.

É esperar para ver.

N. da R.: “Ladrões do futuro” é um eufemismo usado na matéria para identificar a ação maléfica dos envolvidos no caso FDE em prejuízo do futuro educacional dos jovens de hoje, que frequentam as escolas públicas.

Abaixo, as duas páginas da matéria de Carta Capital desta semana: