Páginas

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

PADRE AFONSO RESPONDE
SOBRE FECHAMENTO DE ESCOLAS

Acabo de receber da assessoria do deputado padre Afonso (PV) nota de esclarecimento sobre o fechamento de escolas determinada pelo governo estadual. Vamos à nota:

ESCLARECIMENTO

Boa tarde Irani.

Lamentamos que você também esteja reproduzindo essa notícia - que tenta enganar a população atribuindo aos deputados uma decisão que foi de única e exclusiva responsabilidade do governo estadual - antes de ouvir o outro lado, premissa básica dos manuais de jornalismo.

Sim, pois a proposta de reorganizar a rede de ensino, já havia sido tomada há muito tempo pelo Executivo e a emenda citada na matéria foi apresentada pela oposição durante a votação do PL 1405/2015, numa situação totalmente fora de contexto do que estava sendo discutido, apenas e tão somente para tumultuar e angariar méritos políticos dos menos atentos e tentar vincular uma coisa com outra que nada tinham a ver entre si.

Repetimos: a decisão de reorganizar a rede foi uma medida administrativa, que não precisou do aval da Assembleia e a tal Emenda n.º 20 foi apenas uma manobra da oposição para ganhar espaço político e posar de comprometida com a causa. Ela -a emenda - não tinha cabimento naquele momento e estava sendo apresenta posteriormente à decisão do governador.

Ademais, para conhecimento de todos, o deputado Padre Afonso foi um dos primeiros a se mobilizar para evitar que escolas fossem fechadas na região, inclusive a E.E. Felix Guisard e a E.E. Professor José Mazela, em Taubaté, cuja situação foi motivo de reunião dele com a dirigente regional de Educação, em 23 de outubro.

Esperamos ter esclarecido os fatos, evitando que a mentira mais uma vez passe por verdade. Atenciosamente.

Assessoria de Imprensa
Deputado Estadual Padre Afonso Lobato (PV)

NOTA DA REDAÇÃO

1) A notícia não tenta enganar a população, tanto que mais de 100 escolas estão ocupadas por alunos da rede pública estadual.

2) Se a emenda petista estava fora do contexto, pois tentava impedir o fechamento de escolas, por que o projeto de lei 1405/2015 foi votado açodadamente, pouco antes da meia-noite de 18 de novembro?

3) A lista divulgada foi extraída, pelo blog Viomundo, da própria Alesp e nela constam os nomes dos deputado padre Afonso e Davi Zaia, ambos de Taubaté. Por isso o interesse deste blog.

4) A bancada governista votou o projeto de lei por que já estava decidido pelo governo que seria assim? Pergunto: para que servem os deputados? Por que não discutiram a emenda apresentada pelo PT? Pof que já estgava tudo decidido pelo governo?

5) Publicarei na íntegra outra nota de esclarecimento dessa assessoria, se a receber.