Páginas

terça-feira, 24 de novembro de 2015

PREFEITURA DE CARAGUÁ, DO PSDB,
DISTRIBUI CARTILHA ASSOCIANDO
DILMA À CORRUPÇÃO. CADÊ O PT?

A Prefeitura de Caraguatatuba, refúgio litorâneo de milhares de valeparaibanos, presta um desserviço à educação, da forma mais calhorda e abjeta possíveis.

No momento em que mais de cem escolas estaduais de São Paulo estão ocupadas por alunos para impedir que as mesmas sejam fechadas pelo governo tucano de Geraldo Alckmin, sob as barbas do prefeito Antonio Carlos da Silva, um professor de língua portuguesa usa sua aula para agredir da forma mais covarde o governo de Dilma Rousseff.

Trecho da apostila usada pelo professos fascista de Caraguatatuba
Na matéria, publicada pelo sítio Brasil 247, não há referência sobre o fornecedor das apostilas que o professor distribuiu para os alunos.

Em plena formação intelectual, alunos 13 ou 14 anos são levados a interpretar textos políticos de forma distorcida, sob o pretexto de ensinar o uso correto da língua portuguesa.

O professor da escola municipal Antonia Antunes Arouca, do bairro Massaguaçu, cujo nome não é revelado pela Secretaria de Educação de Caraguatatuba, comete crime ao associar o PT e a presidenta Dilma a casos de corrupção.

A coordenadora regional do PT, Rose Gaspar, de Jacareí, “lamenta” a distribuição da apostila aos alunos e promete estudar o que fazer com a assessoria jurídica do partido. Muito pouco!

A intolerância pregada de forma deliberada numa escola pública, por um professor qualquer, que não tem compromisso com a formação intelectual de seus alunos, é revoltante.

Rose Gaspar precisa agir com mais enérgia neste caso abominável sob todos os aspectos.

Quem fez a cartilha? O governo federal ou o estadual?

Se a Secretaria de Educação de Caraguatatuba diz que a apostila não e de sua lavra, é de quem, então?

O governo federal não produziria uma cartilha com citações desairosas a Dilma Rousseff, ao PT ou qualquer outro partido político.

O governo do Estado também não faria isto, creio.

Se a iniciativa foi do professor, quem autorizou o uso da cartilha?

Quem pagou pela impressão das mesmas?

Só lamentar não adianta. É preciso conter a onda de intolerância que começou nas redes sociais e se espraia (desculpe o trocadilho) pelas salas de aula.

Que compromisso tem a Secretaria de Educação de Caraguatatuba com a formação intelectual de seus estudantes?

Que espécie de gente queremos formar para o futuro? As crianças de hoje serão os líderes políticos de amanhã.

Vamos criar uma não de reacionários?