Páginas

domingo, 27 de dezembro de 2015

BLOG DO CATALDI - 28/12/15




DOMINGO, 27 DE DEZEMBRO DE 2015

O DIA NA HISTÓRIA

DOMINGO, 27 de dezembro. Então é Natal... Faltam 5 dias para o fim do ano.  222 para as Olimpíadas do Rio. 280 para as eleições de 2016. A Pérsia passou a chamar-se Irã (1934). Criação do Departamento de Imprensa e Propaganda – DIP (1939); e do FMI (1945). Aniversário do ator Gerard Depardieu (1948). Aniversário da Tribuna da Imprensa, fundada por Carlos Lacerda (1949). Henrique Mecking, o Mequinho, conquistava aos 14 anos o título de campeão brasileiro de Xadrez (1965). Morte do teatrólogo Paulo Pontes (1976) e do poeta e compositor Cacaso – Antonio Carlos Brito – (1987). Morte do radialista Edmo Zarife, a voz imortalizada pela vinheta Brasíl-il-il, gravada pelo operador José Claudio Barbedo – o Formiga; para a Copa de 70 (1999).

AMANHÃ FOI ASSIM

SEGUNDA-FEIRA, 28 de dezembro. Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Da Marinha Mercante e do Salva-vidas. Sete Estados – Pernambuco, Bahia, Alagoas, Paraíba, Sergipe, Rio Grande do Norte e Ceará – firmaram convênio para exterminar o cangaceiro Lampião (1926). Assassinato da atriz Daniela Perez, e morte do jornalista e escritor Otto Lara Resende (1992).

OPINIÃO

QUEDA DE BRAÇO

O Jornal O Globo decidiu cotejar opiniões de  juristas pró e contra o impeachment. Talvez com o propósito da opinião pública escolher o lado, à luz da doutrina e da lei, ao invés de ficar hostilizando Chico Buarque de Holanda que tem o direito de dizer o que quiser, apesar de muita gente achar que ele é melhor compondo e cantando...

Do lado do impeachment se posicionaram Oscar Vilhena, Ives Gandra da Silva Martins e Leandro Mello Frota. Entendem que a presidente Dilma Rouseff cometeu crime de responsabilidade com as pedaladas fiscais. Segundo eles, a Lei 1.079/1950 deixa claro que usar recursos sem autorização legal é uma violação que justifica a abertura de processo de impeachment.

Do lado pró Dilma, os juristas Michael Mohallem, Gustavo Ferreira Santos e Adriana Ramos. Alegam que a norma é muito ampla, e que as pedaladas representam infração menor, incapaz de resultar na queda da presidente...

Acontece que já é hora do país se dar ao respeito e levar a sério a legislação que edita, a ponto de exigir exemplos das elites dirigentes. A Folha deste sábado publicou que o governo federal expulsou, somente entre janeiro e novembro de 2015, 288 servidores envolvidos em corrupção. O número é 12% inferior aos 329 funcionários públicos demitidos a bem do serviço público pela mesma motivação ano passado.

Muita gente perdeu o emprego público por pedaladas pessoais que talvez não tenham sido tão graves. O que dizer a eles, então?

O que dizer ao Fernandinho Beira Mar e a outros tantos que estão atrás das grades, que este ano, mais uma vez, a presidente concedeu indulto que vai anistiar José Dirceu, Delúbio et caterva, já tendo feito o mesmo por Genoíno lá atrás?

Restaure-se a moralidade ou nos locupletemos todos, diria o saudoso Stanislaw...

Falei e disse!!!