Páginas

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

SINDMETAU ACEITA VOLTA
DE SEU SECRETÁRIO-GERAL

A juíza Siumara Junqueira de Oliveira arbitrou a audiência realizada na 2ª Vara do Trabalho de Taubaté, no último dia 13 de novembro, em que o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos, Juarez Estevan Ribeiro, teve seu retorno ao cargo sindical confirmado.

Neda Márcia Dias pede R$ 721 mil de indenização ao Sindmetau,
presidido por seu marido Hernani Lobato, de quem foi sócia em uma loja
Pelo acordo estabelecido, Juarez Estevan retorna ao Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté para “exercer efetivamente todas as suas atribuições estatutárias próprias de seu cargo de Secretário Geral”.

Que atribuições?

As principais são:

Letra “e” do art. 33 do estatuto do sindicato: “coordenar e garantir a aplicação das políticas e prioridades definidas pela direção do sindicato aos departamentos: imprensa, formação, cultura, jurídico, saúde do trabalhador e política sindical”.

Letra “i” do mesmo estatuto: “Manter organizado e sob controle da Secretaria Geral o arquivo e as correspondências do Sindicato”.

Ou seja:

A partir de agora, a presidência do Sindmetau não poderá negar acesso a Juarez Estevan à demanda trabalhista que Neda Márcia Dias, esposa de Hernani Lobato, tem contra o Sindicato.

A demissão e posterior reintegração de Neda Márcia Dias ao Sindmetau tem lances curiosos e perguntas a serem respondias:

Por que Neda esperou que seu marido assumisse a presidência da entidade para só então acionar a justiça do trabalho para pedir reintegração ao seu antigo cargo de secretária executiva e uma indenização de R$ 721 mil?

Por que quando foi representar o Sindmetau na audiência que poderia resultar no pagamento da indenização à demandanter, Hernani Lobato não disse ser marido de Neda Márcia Dias?

Se Neda, como alega, sofreu abalo psicológico com a sua demissão, obrigando-a a se tratar com especialistas, como teve “cabeça” para montar e dirigir uma loja de roupas no shopping, tendo como sócios... quem?

Pois é! Os sócios de Neda eram nada mais nada menos que seu marido, Hernani Lobato, presidente do Sindmetau, e Carolina Dias Lima. Qualquer semelhança de sobrenome não é mera coincidência.

Ah!, tinha também Jacy Fernandes Rodrigues e Tays Dias de Lima.

A sociedade foi desfeita em 20 de março deste ano, segundo registra da Junta Comercial do Estado de São Paulo.

Aqui, requisição protocolada pelo secretário geral do Sindmetau, Juarez Estevan, solicitando ao presidente Hernani Lobato cópias do processo trabalhista movido por Neda Márcia Dias contrra o Sindmetau.