Páginas

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

ESCOLA DR. LOPES CHAVES,
TOMBADA E ABANDONADA

Extraí da página do professor Silvio Prado esta reportagem. Atento às questões de interesse público, o professor nos brinda com esta matéria-denúncia sobre uma das mais tradicionais escolas públicas de Taubaté. As fotos, de autoria do professor, comprovam o abandono e o pouco caso das autoridades com os bens públicos e com a própria história desta urbe quase quatrocentona.

Escola Dr Lopes Chaves, abandonada no centro de Taubaté!

A Escola Dr Lopes Chaves, situada respectivamente nas ruas Dr Pedro Costa e Anísio Ortiz Monteiro, foi a primeira escola pública de Taubaté. Funcionando antes num prédio particular alugado pelo Estado, a Lopes Chaves passou a partir de 7 de setembro de 1902 a funcionar num local onde estavam construídas a antiga Câmara e também a cadeia do município.

A sujeira à porta do prédio centenário mostra o descaso com o bem público
Euclides da Cunha, um personagem impar na história brasileira, foi o engenheiro que fiscalizou a construção da escola. No entanto, quem passa hoje pelo prédio magnífico, tombado em 2002 pelo Conselho do Patrimônio, Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo - CONDEPHAAT - fica desconcertado com a situação de abandono do mesmo e o desprezo que o poder publico local tem por essa jóia rara que embeleza nossa paisagem urbana.

Durante a gestão do tucano Mario Covas, o processo de municipalização do ensino teve início no estado de São Paulo, avançou e alcançou Taubaté. Portanto, a velha e histórica escola saiu da administração estadual e passou para a responsabilidade do município.

É deprimente e vertonhoso o estado de abandono do prédio histórico
Depois de poucos anos, tal mudança administrativa selou de maneira triste o fechamento de suas dez salas de aula para a infância e a juventude de Taubaté, cidade cujo prefeito, Ortiz Jr, pretende fazer uso de pelo menos dez escolas estaduais para acomodar alunos que estão sobrando nas escolas municipais no presente ano.


Enquanto o prefeito insiste em tomar escolas estaduais, um prédio sob responsabilidade da Prefeitura permanece abandonado no centro da cidade. Até a placa de sua inauguração ninguém sabe para onde foi levada ou quem a levou. Enfim, é o descaso com a história e com a educação. É o descaso com o passado, o presente e o futuro.