Páginas

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

JOFFRE MONTA COMITÊ ELEITORAL NO
ESCRITÓRIO DE SEU CHEFE DE GABINETE

O Catão da Vila São Geraldo, se um dia teve pudor, o perdeu completamente. Joffre Neto, que em outubro do ano passado contratou para chefe de gabinete o advogado Jonas dos Santos Mendes, hoje usa o escritório de seu funcionário como como comitê eleitoral na Cecap, um dos mais populosos de Taubaté.

Fachado do escritório de advocacia do chefe de gabinete do vereador Joffre
Chamado de “Enxoffre Neto” pelo falecido ex-vereador Rodson Lima, bem poderíamos mudar o epíteto do vereador para “Esquijoffrênico”, pois suas ações (forma de agir) sãs dissociadas de suas pregações políticas (pensamento).



Moralista desde a criação da “transparência Taubaté” (estive entre os primeiros 200 membros do grupo, convidado pelo próprio Joffre), o Catão da Vila São Geraldo não engabelou somente a mim.

Fez forte oposição a Roberto Peixoto, apareceu na televisão (quem não se lembra do programa CQC, na Band?) para falar dos “ovos de ouro” do ex-prefeito.

Toda aquela encenação fazia parte de sua campanha política. Não faltaram passeatas, discursos de protesto contra Peixoto, varal na Praça D. Epaminondas mostrando os desacertos e a corrupção no governo Peixoto, que estão em de julgamento pelo TRF-3.

Quando foi  mostrado o superfaturamento do fubá nas compras do então recém-eleito prefeito Ortiz Junior, Joffre Neto se calou.

O escritório do chefe de gabinete de Joffre Neto agora é comitê eleitoral
A advogada Hélcia Freire, que tem um nome a zelar, foi a primeira a deixar o Catão da Vila São Geraldo no meio do caminho. Levada para trabalhar no gabinete do recém-eleito vereador, Hélcia Freire não suportou a arrogância de Joffre Neto e demitiu-se ainda no primeiro trimestre de 2013.

Adoraria ter acesso às páginas do Face, das quais estou excluído (quá quá quá quá!), para ler a choradeira do que restou das Cajazeiras, que devem estar arrependidas até o fundo alma por terem apoiado o “vereador necessário” (assim elas o chamavam na campanha de 2012).

A moralidade do Catão da Vila São Geraldo é igual a uma nota de R$ 3 9não existe... quá quá quá quá!). Só agora certas cajazeiras renitentes estão conhecendo a alma “esquijoffrênica” de Joffre Neto.

O Catão da Vila São Geraldo vai engrossar a fila do desemprego em 2017. Ainda bem que não há salário-desemprego para ex-vereador.

Veja aqui a explicação que pedimos ao Catão, em novembro de 2015. A explicação veio agora. A contratação do advogado Jonas dos Santos Mendes significava, na verdade, o “aluguel” do escritório do causídico (alguém se lembra desta palavra?) para seu comitê eleitoral.

Na melhor das hipóteses, o advogado de Joffre Neto não precisa comparecer na Câmara Municipal para cumprir seu expediente como chefe de gabinete do vereador, cada vez mais desnecessário.

Aqui, dados da contratação:

Nome do Servidor: JONAS DOS SANTOS MENDES
Data Admissão: 29/10/2015
Lotação: GAB JOFFRE NETO
Cargo: CHEFE DE GABINETE
Valor Proventos: R$ 7.872,21