Páginas

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

“ORTIZ JR É O CANDIDATO
MAIS HONESTO”, AFIRMA
CAPEZ: QUÁ QUÁ QUÁ QUÁ!

A campanha eleitoral de 2012 estava chegando ao fim. Na noite de quinta-feira, 25 de outubro, três dias antes do pleito, o deputado estadual Fernando Capez participou, em Quiririm, do último comício da milionária campanha de Ortiz Junior à Prefeitura de Taubaté.

A desfaçatez do ex-promotor público, que se notabilizou no primeiro decênio do ano 2.000 por associar seu nome à Federação Paulista de Futebol para combater a violência nos nossos gramados não acabou com a violência nos estádios nem com a fúria das torcidas organizadas.

Como representante do MPE na estrutura organizacional do futebol paulista, Fernando Capez soube tirar proveito da situação. Licenciou-se do Ministério Público para candidatar-se a deputado estadual. Vewnceu em 2006 e foi reeleito em 2010, com uma votação estrondosa: mais de 200 mil votos.

No comício de Ortiz Junior, Fernando Capez afirmou ter sido professor de Ortiz Junior, provavelmente no curso do jurista Luiz Flávio Gomes, e que, naquele instante, estava na frente de seu mestre.

Capez deitou falação, Elogiou seu amigo Bilili, que havia sido eleito vereador pelo PSDB. Rendeu todas as homenagens possíveis a Bernardo Ortiz, que economizou mais de R$ 200 milhões na FDE.

Naquele 25 de outubro de 2012, Bernardo Ortiz e Ortiz Junior já haviam perdido a santidade que desfrutavam em Taubaté. Ambos respondiam a um processo por improbidade administrativa na 14ª Vara da Fazenda Pública da Capital.

Capez ignorou que Bernardo Ortiz cumpria suspensão na presidência da FDE, por imposição judicial, e seus bens de família, inclusive de Ortiz Junior, estavam bloqueados pela Justiça em até R$ 34 milhões.

Tanta “honestidade” bajulada por Fernando Capez serviu para que uma das empresas que hoje denunciam o ex-promotor por recebimento de propina fizesse um contrato com a \Prefeitura de Taubaté, já sob o comando de seu bajulado Ortiz Junior.

A propalada “honestidade” de Bernardo Ortiz serviu apenas para Alckmin demiti-lo da FDE. Quanto a Ortiz Junior, a juíza eleitoral não teve como segurá-lo no cargo. Cassou-lhe o mandado em agosto de 2013.

Pouco mais de três anos depois, o ”honesto” Ortiz Junior está gastando uma fortuna com advogados para tentar garantir o mandato no julgamento que corre no TSE, mas dificilmente escapará da forca.

Fernando Capez, por sua vez, está se afogando nas denúncias dos fornecedores de merenda escolar, de que teria recebido propina por contratos entre estes e o governo do Estado.

Ficará difícil para Bilili (PSDB) explicar a amizade propalada pelo próprio Capez em Taubaté diante de denúncias tão graves que o acossam nestes dias. Como fica o vereador Digão (PSDB), que se aproximou de Capez e tem a promessa deste de apoiá-lo em uma possível candidatura a prefeito Taubaté?

Ah! Tem mais: foi o próprio Capez quem alimentou em Bilili e Digão a esperança da possível confirmação da cassação de Ortiz Junior no TSE.

Aquela matéria publicada recentemente pela revista Carta Capital, na qual Bernardo Ortiz e Ortiz Junior são associados a ladrões do futuro por conta da passagem funesta de ambos pela FDE teria sido avalizada por Fernando Capez, segundo fonte envolvida no esquema.

Escolha em qual Capez você acredita:

1) No amigo do vereador Bilili?

2) No apoiador do vereador  Digão?

3) No deputado que avalizou a "honestidade" de Bernardo Ortiz e de Ortiz Junior? ou

4) No deputado acusado de receber propina de fornecedores de merenda?

5) Aqui, o vídeo de Capez "babando ovo" para a dupla Bernardo e Ortiz Junior em 2012