Páginas

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

DILMA ENFRENTOU BALA, CADEIA,
TORTURA E NÃO ENFRENTA RENAN

O embate mais fácil da vida política da presidenta Dilma Rousseff ela não enfrentou. A corajosa guerrilheira da VPR sucumbiu à Renan Calheiros e a Serra para entregar o pré-sal para a Chevron.

Apesar da covardia do governo, não perderemos a guerra para a direita entreguista. Fotomontagem: Brasil 247
Senadores que eram contra a medida medraram. Quem era contra a cessão do pré-sal à Chevron agora vota a favor.

Serra prometeu em 2010, quando disputava a presidência contra Dilma, segundo o Wikileaks, que mudaria a forma de partilha do pré-sal elaborada por ela mesma no governo Lula.

Nós, que vivemos nos porões da República, não temos acesso às informações e ao intrincado jogo político que envolve um negócio dessa magnitude.

O certo é que Dilma sucumbiu. Ela e seus principais ministros medraram. Aceitaram o jogo sujo de Renan e Serra.

Só podemos imaginar, pela falta de acesso a informação, que Renan “trocou” com a presidenta a entrega do pré-sal á Chevron pela garantia que o impeachment não será votado no Senado, se chegar lá.

Nós, brasileiros, uma pequenina célula dos 54 milhões de eleitores que reconduziram Dilma ao Palácio do Planalto estamos decepcionados.

Custo a acreditar que Dilma quer apenas terminar seu mandato sem o risco de sofrer cassação para aposentar-se  curtir seus netos em Porto Alegre.

A posição covarde do governo, diante de malandros tipo Serra e Renan, é assustadora.

A insensatez do governo Dilma, que certamente teria muito mais que os 54 milhões de eleitores em sua defesa para continuarmos com o pré-sal, ao ceder à Serra e à Renan, nos ofende.

Joga um balde de água fria sobre nossas cabeças. Dá um bofetada em nossa cara.

A Pátria Educadora que Dilma prometeu ao tomar posse em 2015, não sairá do papel. Continuaremos sendo uma pátria de semianalfabetos, ajoelhados perante as grandes potências, por pura covardia de nossa classe dirigente.

FHC entregou o Brasil (com a ajuda de Serra), mas não conseguiu entregar a Petrobras, por conta das lutas dos petroleiros.

O povo brasileiro e em especial a CUT e a FUP (Federação Única dos Petroleiros) certamente nos guiarão para combater a bandidagem que atua no Congresso Nacional.

A defesa do mandato de Dilma é outra história (e eu continuarei nesta luta), embora a presidenta não creia na força mobilizadora da população e de suas lideranças.