Páginas

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

ESQUERDA TAUBATEANA TERÁ
DOIS CANDIDATOS A PREFEITO

A hora da verdade está chegando. Daqui a oito meses escolheremos o prefeito de Taubaté. A única pré-candidatura consolidada é a da vereadora Pollyana Gama (PPS), que será homologada na convenção partidária e confirmará sua candidata ao Palácio do Bom Conselho.

O PSOL também está definido. Só um desastre ferroviário tirará a candidatura do professor Silvio Prado a prefeito de Taubaté definida recentemente em uma reunião partidária na Câmara Municipal.

A legislação eleitoral foi alterada para prejudicar os pequenos partidos. Como tem menos de nove parlamentares no Congresso Nacional, o PSOL ficará ausente dos debates televisivos.

Não havendo convite formal da emissora de televisão promotora do debate, e anuência dos demais partidos ao convite, o PSOL estará praticamente alijado dos debates eleitorais.

Silvio Prado, candidatura a prefeito confirmada pelo PSOL
Perderão os eleitores taubateanos, que estarão impedidos de ver e ouvir o professor Silvio Prado, dono de uma retórica perfeita, eloquente, capaz de mostrar aos taubateanos que é possível governar esta urbe quase quatrocentona sem arranjos suspeitos com fornecedores ou prestadores de serviço à Prefeitura.

Ventila-se a possibilidade do medico Rubens Freire (PSD), que na última eleição foi candidato a vice-prefeito de Antonio Mário Ortiz, ser indicado pelo partido n a próxima disputa eleitoral municipal.

Quem decide pelo PSD é Gilberto Kassab e o prefeito de Mogi das Cruzes, Marco Aurélio Bertaiolli. Kassab, ministro das Cidades no governo Dilma, pretende disputar o governo de São Paulo em 2018  deve desestimular uma possível aliança com o PSDB.

Neste caso, está em jogo a amizade de Kassab com Paulo Skaf, que por sua vez é amigo de Rubens Freire. O PSD reúne-se amanhã para discutir os rumos da campanha. Por enquanto, a aliança com o PSDB está descartada por conta do desgaste político dos tucanos com a possível cassação de Ortiz Junior e o estouro do escândalo da merenda que pegou o governo tucano de Alckmin .

O PMDB, sob o comando do ex-deputado Ary Kara José, cuja imagem está bastante desgastada em Taubaté, tem o empresário José Antonio Saud como pré-candidato, com forte penetração nas classes mais altas, mas baixa popularidade na periferia. Nada que uma boa campanha não possa alterar.

Padre Afonso (PV) tem três caminhos: lançar-se candidato a prefeito pelo partido, aliar-se ao PSDB e se candidatar pelo partido tucano ou ausentar-se da disputa eleitoral, preservando seu mandato de deputado estadual. Por enquanto, tudo o que gira em torno do nome de Padre Afonso são meras especulações, garante um assessor do parlamentar.

O PT terá candidato. O vereador Salvador Soares já descartou a hipótese de ser o escolhido para defender a sigla na próxima eleição municipal. Isaac do Carmo, que disputou o segundo turno da eleição passada, desta vez deve ser candidato a vereador.

Os petistas apostam que Isaac poderá ser um puxador de votos para a legenda, facilitando a eleição de um terceiro vereador na próxima legislatura.

Júlia Cruz pode ser a novidade do PT para o eleitor indeciso 
Salvador khuriyeh, assoberbado de trabalho na prefeitura paulistana, no comando da mobilidade urbana do município paulista (ciclovias, faixas exclusivas de ônibus, infraestrutura das vias públicas, etc) não poderá abandonar o prefeito Fernando Haddad em ano eleitoral.

Quem poderá aparecer como novidade nesta eleição é Julia Cruz. Jornalista, 30 anos, articulada, tem apoio da juventude do PT e de petistas que não têm medo de enfrentar as urnas com uma candidatura jovem. Quem acredita que Julia Cruz é inexperiente, vai se surpreender com sua facilidade de comunicação. Seu rosto jovem ajudará, com certeza.