Páginas

sábado, 6 de fevereiro de 2016

NA TERRA DAS CAJAZEIRAS, JOFFRE
PODE SER CANDIDATO A PREFEITO

Sem o apoio das cajazeiras, o vereador Joffre Neto (PSB), neste blog chamado de Catão da Vila São Geraldo, sabe que estará desempregado em 2017.

Edigard Vandalete, Luizinho e Joffre, à espera da benção de Ortiz Jr
Sem o apoio das cajazeiras, não as de Sucupira, mas as de Taubaté, o futuro ex-vereador lança-se em uma aventura impensável para quem se julga um grande legislador e um orador de dar inveja a Rui Barbosa.

O aprendiz de jurista Jonas Mendes (que fez exame da OAB do MT não se sabe porquê), empregado de Joffre Neto na Câmara Municipal, contratado como chefe de gabinete, lança o vereador como pré-candidato a prefeito de Taubaté.

Oba!

Já temos em quem não votar.

Não é difícil que Joffre Neto seja indicado candidato pelo PSB:

Primeiro porque, embora a vereadora Graça seja a presidente do partido, quem manda é o clã Ortiz.

Segundo: Joffre seria o candidato a jogar fumaça nos olhos dos eleitores, cegando-os sobre os malfeitos da atual administração.

Terceiro: é uma candidatura que nasce do desespero de Ortiz Junior, que pode ter sua administração abreviada pelo TSE e ficará de fora do próximo pleito eleitoral.

Quarto: Joffre Neto sabe que é um dos vereadores mais rejeitados pela população e que o desemprego o espera em 2017.

Quinto: o advogado Jonas Mendes tem pouca experiência, poucos clientes e não quer fazer companhia para o Catão da Vila São Geraldo o ano que vem.

Sexto: Por isso o jurisconsulto da Cecap emprestou seu escritório para Joffre montar seu comitê eleitoral e o lança candidato a prefeito.

Ambos querem garantir uma “boquinha” o ano que vem.

Caberá a Joffre Neto o papel de mero coadjuvante da candidatura principal: a de Ortiz ou de alguém apoiado por ele.

Tudo por um emprego. E Jonas, que tem página no Face, não se envergonha em lançar a candidatura de seu chefe a prefeito de Taubaté.

Se o caro(a) leitor(a) tiver um tempinho, visite a página do juriscosulto da Cecap.

As cajazeiras eram mais eficientes.