Páginas

segunda-feira, 11 de abril de 2016

GLOBO COMEMORA 51 ANOS
APOIANDO MAIS UM GOLPE. QUE TAL
JOGAR ÁGUA NO CHOPE DA GLOBO?

Golpe a gente vê por aqui aqui: O primeiro foi em 1954. O segundo em 1964. O terceiro n~]ao haverá.
O império Globo nasceu no dia 26 de abril de 1965, à sombra do golpe militar de 1964, que ajudou a implantar. O império Globo obteve todas as regalias para se favorecer de empréstimos internacionais, quando a lei proibia, para se transformar na maior rede de televisão do hemisfério sul.

O império Globo não perdeu sua principal característica: a de ser golpista. Foi assim em 1954, quando levou Getúlio ao suicídio. Foi assim em 1964, quando ajudou a depor Jango e a implantar a ditadura militar. Foi assim em 1989, quando manipulou o debate de Lula e Collor, levando o petista a perder a eleição presidencial daquele ano.

Tem sido assim desde a vitória de Lula, em 2002. Foi assim em 2005, quando sugiram as primeiras denúncias do mensalão petistas (o mensalão tucano não é assunto na  Globo). O julgamento da ação penal 470 foi uma farsa jurídica patrocinada pelo STF, que fez o final do julgamento coincidir com as eleições de 2012, na vã tentativa de derrotar o PT. Não conseguiu.

Novamente, os relógios são ajustados para o processo de impeachment coincidir com o mês de aniversário da Globo. Seria a glória: cassar uma presidente legitimamente eleita com 54 milhões de votos apenas com a força da manipulação exercida em seus telejornais, sem o uso de canhões e o apoio incondicional do juiz Sérgio Moro, manipulado por ela.

A Globo, porém, não contava com a força da internet e dos blogues independentes a denunciar suas maracutaias, como o triplex construído ilegalmente em área de preservação ambiental, sem contar as contas em paraísos fiscais reveladas pelo Panamá Papers, um megaescândalo envolvendo empresas de todo o mundo donas de firmas fantasmas em paraísos fiscais, tudo para fugir ao imposto de renda que deveriam pagar em seus países de origem.

A Globo acreditava que bastava a força de seu jornalismo para fazer o brasileiro acreditar que o que está em andamento não é um golpe e que o (im)provável impeachment de Dilma é legal, previsto em constituição. Sim, o impeachment é um instrumento legal para interromper um mandado legitimamente conquistado nas urnas, desde que apontado um crime. Não havendo crime, o impeachment é impossível. É golpe.

A reação popular ao golpismo da Globo, presente em todas as manifestações populares Brasil afora, acuou o monopólio midiático. Seus repórteres são escorraçados das manifestações públicas. Seus índices de audiência caem vertiginosamente. “O povo não é bobo, abaixo a Rede Globo”.

Hoje, a partir das 19 horas, com as presenças de Lula e Chico Buarque e artistas como Beth Carvalho, João Bosco e outros, mais de um milhão de cariocas se reunirão em frente aos arcos da Lapa para protestar contra o golpe e em defesa da democracia e do estado de direito. 
As últimas notícias vindas de Brasília dão conta que o governo reuniria até 220 parlamentares contrários ao golpe.

A Globo vai comemorar 51 anos, mas com água no chope! Quá quá quá quá!