Páginas

quinta-feira, 30 de junho de 2016

GUARÁ FILHO. AH! ESTE MENINO...

Conta de luz da gráfica de Pindamonhangaba está em nome de Guará Filho
Augusto César Guará Filho não será candidato a prefeito, como tem apregoado. No máximo seu partido, o PR (Partido da República), será um penduricalho da candidatura do PSDB, ou de quem o velho cacique Bernardo Ortiz indicar para disputar a sucessão municipal em Taubaté.

Desfrutando dos 15 minutos de fama que a pré-candidatura a prefeito lhe confere, Guará Filho foi entrevistado num canal de televisão.

O rebento de Augusto Cesar Guará se apresenta como jornalista. Gostaria que ele apresentasse aos eleitores seu diploma do curso de Comunicação Social devidamente registrado como jornalista.

Como se sabe, qualquer um pode se declarar jornalista, mesmo sem diploma universitário. Na carteira profissional do declarante aparecerá seu registro de jornalista não diplomado. Como Guará Filho não apresentou uma coisa nem outra presumo que se trata de embuste, charlatanice.

Como pode ser comprovado acima, Guará Filho é quem paga a conta de luz da gráfica que imprimiu os dois jornais do presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Taubaté. Detalhe: a gráfica fica em Pindamonhangaba, na Avenida Nossa Senhora do Bom Sucesso, pertinho do Largo São Benedito, no centro da cidade.

Talvez este fato explique por que o vereador Douglas Carbonne (PC do B), relator da CPI aberta na Câmara para apurar possíveis irregularidades na contratação de empresas de plano de saúde para os servidores municipais, não consegue intimar Guará Filho para ser ouvido pela CPI.

Os funcionários do sindicato e de sua empresa alegam desconhecer seu paradeiro e se negam a receber a intimação para Guará Filho depor na CPI. A intimação deverá ser feita por hora certa. Se não atender a convocação, Guará Filho poderá ser conduzido coercitivamente para prestar depoimento.

O misto de “jornalista” e empresário Guará Filho, que ainda deve explicações à comunidade dos servidores municipais sobre suas atividades, poderia responder algumas perguntas. Por exemplo:

Guará Filho distribuiu um boletim, em nome do Sindicato, ressaltando a “conquista” da categoria sobre o reajuste salarial do ano que vem, que seria de 16,48%.

O prefeito atual, cassado em duas instâncias, não pode assumir compromisso salarial com os servidores para o ano que vem. A não ser que dê como certa sua reeleição.

Boletim do Sindicato anuncia reajuste salarial
 para o ano que vem. Como assim?
Pergunto:

1) O boletim foi impresso na gráfica de Pindamonhangaba? (Cuja conta de luz está em nome de Guará Filho)

2) A contratação do serviço foi paga diretamente pelo Sindicato ou houve intermediação da empresa de Guará Filho?

3) A empresa de Guará Filho alugou o prédio onde funciona a gráfica que imprimiu seus jornais e por isso a conta de luz do local está em seu nome?

4) As máquinas (impressor, guilhotina, etc) da gráfica pertencem a quem? Elas são alugadas? Quem paga o aluguel? Quem é seu proprietário?

Guará Filho, a CPI está te cercando e ficará cada vez mais difícil você explicar seu patrimônio.