Páginas

quarta-feira, 29 de junho de 2016

SE VOCÊ GOSTA DE FUTEBOL,
NÃO PERCA ESTE DEBATE

Venha debater futebol. mídia e democracia conosco. Afinal, quem não gosta de um bom papo sobre futebol?

A maioria de nós não era nascida em 16 de julho de 1.950, por ocasião da tragédia do Maracanã, quando o Brasil foi derrotado na final daquela Copa por 2 a 1 pelo Uruguai. Os 7 a 1 que tomamos da Alemanha na Copa de 2014 foi muito pior que o "desastre" de 1950. Foi um vexame histórico. Um fiasco que jamais será apagado da memória dos brasileiros.

A geopolítica mundial, dominada pelas potências que derrotaram os alemães na II Guerra mundial, começava a dividir os países europeus. Até a Alemanha foi dividida em Oriental e Ocidental. A URSS reuniu em uma só república vários países. Por isso a Copa de 50 foi disputada no Brasil. A Europa estava financeiramente quebrada.

A Iugoslávia, por exemplo, já existia sob o governo do general Tito. Era uma espécie de confederação desde a pós I Guerra Mundial. Aliou-se à URSS na II Guerra e permaneceu no bloco comunista quando o conflito se encerrou, em 1945.

A primeira Copa do Mundo, disputada no Uruguai em 1930, teve a participação dos iugoslavos. Foi um dos representantes europeus, ao lado de França, Romênia e Bélgica.

Nos ano 1990, a Iugoslávia se desintegrou, após guerras civis e a morte de milhares de combatentes, que lutavam pela independência de suas antigas repúblicas.

Ressurgiram, assim, Croácia (estava na chave do Brasil na Copa de 2014 e chegou às oitavas de final da Eurocopa ainda em disputa na França).), Sérvia, Eslovênia, Bósnia-Herzegóvina, Montenegro, Macedônia e Kosovo, que ainda não é reconhecido como uma país independente.

Os sessentões amantes do futebol devem se lembrar da Copa de 1962, no Chile, vencida pelo Brasil por 3 a 1 na final contra a Tchecoslováquia. O país existia desde o fim da I Guerra Mundial.

O país dividiu-se em 1993 em Republica Tcheca e Eslováquia. Os dois países disputaram a Eurocopa 2016, ainda em andamento, A Eslováquia foi eliminada na primeira fase e a República Tcheca chegou ás oitavas de final.

Quem tem assistido à Eurocopa se emociona ao ver jogadores de países como Croácia, Islândia, País de Gales, República Tcheca e Eslováquia postando-se à frente de suas torcidas para entoar o hino de seus países, numa demonstração de patriotismo que só o futebol pode proporcionar.

Os franceses cantam a Marselhesa com orgulho antes dos jogos e sua seleção, como os brasileiros cantavam o hino nacional brasileiro na Copa de 2014.

Tudo isto para mostrar aos leitores que o futebol é usado para fortalecer o espírito nacionalista de todos os países. Os governos tiram proveito político deste fato, e os empresários e dirigentes de futebol para ganhar dinheiro. Muito dinheiro.

Os recentes escândalos de corrupção envolvendo a Fifa e todas as confederações continentais (UEFA, Conmebol, Concacaf, CAF/Ásia e CAF/África) é a prova disso, a ponto de o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, não viajar para o exterior para não ser preso pela Interpol. Marin usa tornozeleira nos EUA, em regime de prisão domiciliar.

No Brasil, as torcidas, especialmente a do Corinthians, tem usado sua força para se manifestar politicamente nos campos de futebol, empunhando faixas e cartazes contra o monopólio da Globo, que domina o futebol e obriga os clubes a jogarem às 10 da noite para não prejudicar sua grade de programação.

A Globo manipula não apenas os clubes. Ela convoca e desconvoca técnicos e jogadores para a seleção brasileira. Através de seus programas esportivos, a emissora forma a opinião pública e mantém em rédea curta os dirigentes da CBF, das federações estaduais e dos clubes, que se dobram á sua vontade.

O caso do Ronaldo Fenômeno, por exemplo, flagrado com dois travestis em um motel do Rio de Janeiro, onde rolou briga, bebidas e drogas foi devidamente abafado pela emissora.

A fatura ainda é cobrada do ex-jogador, que apoia Aécio e Perrela, para ficarmos apenas em dois casos de notórios corruptos, posou para fotos abraçado a Marin (preso nos Estados Unidos por participar do esquema de corrupção na Copa de 2014), Jerome Walke, ex-secretário geral da FIFA, demitido por corrupção.

Outro que tem o rabo preso com a Globo é o técnico mano Menezes, flagrado por uma blitz no trânsito carioca dirigindo bêbado. No dia seguinte á prisão, o técnico foi levado ao estúdios da Globo para uma entrevista e não se falou mais nisto.

O poder daninho da Globo sobre o futebol será o centro das discussões deste sábado, na sede do EC XV de Novembro do Chafariz.

Você é nosso convidado especial. venha conosco!