Páginas

quinta-feira, 21 de julho de 2016

PESQUISA PRÉ-ELEITORAL INDICA
POUCA RENOVAÇÃO NA CÂMARA



Tudo bem que a pesquisa foi realizada entre o final de maio e o começo de junho este ano, com apenas 530 eleitores em 12 bairros da cidade, mas dá um parâmetro para análises como esta.

O resultado da pesquisa, que não foi registrada no cartório eleitoral e não será divulgada neste blog, mostra certa renitência do eleitor a mudanças profundas, ou total, entre os vereadores.

Taubaté possuía 215.151 eleitores na eleição de 2012 dos quais 174.213 (80.97%) compareceram para votar no primeiro turno.

Foram 40.938 abstenções (19.09% eleitores ausentes), além de 8.130 (4,67%) votos nulos e 5.871 (3,37%) votos em branco, segundo a Fundação Seade.

No total, foram 160.212 votos válidos (91,98%).

Taubaté tem atualmente 222.773 eleitores, segundo o TSE.

Considerando os porcentuais da última eleição, ou seja, os 91,98% votos válidos, teremos nesta eleição algo em torno de 204.906 votos válidos.

Para eleger um vereador, o partido precisará de 10.784 votos. O quociente eleitoral girará em torno deste número.

A tarefa será dificílima para qualquer candidato, dado o tempo exíguo que terão para aparecer na TV (horário eleitoral gratuito).

Considerando-se que Vera Saba (PMB) e Pollyana Gama (PPS) deixarão a Câmara para disputar o cargo de prefeita e os vereadores Carlos Peixoto (PTB) e Luizinho da Farmácia (PROS) estão inelegíveis, 15 cadeiras de vereadores serão disputadas pelos candidatos em outubro.

O chato é antever que, por mais campanha se faça para mostrar ao eleitor a necessidade de uma renovação total na Câmara Municipal, a pesquisa é cruel com quem sonha om uma mudança radical no atual quadro de vereadores.

Dos atuais vereadores, apenas 4 não são citados na pesquisa espontânea de maio/junho, já eliminados os nomes das vereadoras Vera Saba e Pollyana Gama.

Os 15 restantes não devem se tranquilizar. A pesquisa indica que três pré-candidatos poderão chegar à Câmara Municipal pela primeira vez.

Isto significa que, além dos três, outros nomes que não estão na memória recente dos eleitores poderão surpreender na reta final e atropelar os atuais vereadores.

Mesmo sem Vera Saba, Pollyana Gama, Luizinho da Farmácia e Carlos Peixoto na próxima disputa eleitoral, deveremos ter uma renovação pequena na Câmara.

Eu, particularmente, aposto em 10 novos vereadores.