Páginas

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

A PESQUISA DE GUARÁ FILHO

Guará Filho faz pesquisa eleitoral por telefone. Fui um dos pesquisados. Perguntaram minha opinião. Respondi: "péssimo".


Minha soneca no meio da tarde desta quinta-feira (18) foi interrompida pelo tilintar do telefone.

Uma moça, educada, diga-se, queria saber sobre o bairro.

Chutei “segurança pública”, sem nenhuma convicção.

Em seguida veio a pergunta/informação:

“O senhor sabia que o Guará Filho é candidato a vereador?”

Resposta:

“Sim!”

“E o que o senhor acha?, perguntou.

“É um péssimo candidato”, respondi.

“Está bom, estou anotando sua reposta”, informou.

Acabou a pesquisa.

O telefonema foi feito via celular.

Anotem o número: 98842-7171.

Se o Guarazinho tiver nas urnas a mesma sorte que teve em telefonar justamente para este blogueiro, vai se dar mal.

Quá quá quá quá!

O candidato, pelo jeito, está com a bufunfa.

Imprimiu dois jornais e distribuiu pela cidade inteira, de casa em casa.

Paga a conta de luz de um gráfica em Pindamonhangaba.

Tem uma empresa de intermediação de negócios, o que é proibido para funcionário público.

Está licenciado da presidência do Sindicato dos Servidores e pode ser chamado pelo MP para explicar os contratos que fez com duas empresas de saúde sem realizar assembleia com os trabalhadores.

Detalhe: Guará Filho manteve ao longo dos últimos meses pelo menos cinco assessores, que o acompanhavam para baixo e para cima, inclusive quando apresentava um programa na Rádio Difusora, pelo qual pagava algo em torno de R$ 15 mim mensais.

De onde jorrava o dinheiro?

Será que o candidato a vereador Guará Filho responderá a esta pergunta?