Páginas

sábado, 13 de agosto de 2016

E SE FOSSE VOCÊ?

 A disputa pela Prefeitura fica aberta com a cassação de Ortiz Junior. Quem saber tirar proveito da situação atual?


Jeferson Cabral, professor

Qual deveria ser a atitude da pessoa responsável por uma cidade com cerca de 300 mil habitantes, alunos em escolas públicas, coleta de lixo, abastecimento de água, luz, transporte público, pavimentação de ruas, combater enchentes, pagar funcionários, atender doentes em pronto socorro e ambulatórios, entre muitas outras responsabilidades para toda a gente.

Gente que confiou a maioria dos votos e o elegeu para ser o responsável por todos nós. Gente que trabalha o dia todo e paga suas contas inclusive impostos.

Não é o momento para projetos pessoais, exercício do poder, pelo simples fato de ter.

Nossa cidade precisa de projetos administrativos. Não precisa mais de politiqueiros ambiciosos, gananciosos e egoístas. Nem falar de ficha suja.

Precisamos de políticos(as) compromissados(as) com seu povo, verdadeiros(as) estadistas.

Nesta entoada, não cabe também lançar-se candidato com ficha suja.

Ainda que seja uma campanha sub-júdice, é sempre terrível para seu povo.

Taubaté passou os últimos 4 anos numa espécie de expectativa funesta, não sabíamos se acordaríamos e pela manhã não teríamos mais um prefeito. Até ser verdade no último dia 10 de agosto, quanto desgosto, angústia e decepção.

O ex prefeito Ortiz Junior, se confirmadas as últimas decisões da justiça, pode até pensar em lançar um candidato para substituí-lo. Seria alguém próximo? Alguém de confiança? Que não seja o seu atual ex-vice prefeito Edison, que evidentemente fazia a composição da chapa eleitoral, agora cassada, ambos afastados dos cargos. Lembrem-se que nosso povo não pode passar tudo de novo.