Páginas

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

POLLYANA, LEIA COM ATENÇÃO!

Pollyana Gama, ladeada pelo marido, deputado Davi Zaia, e Rubens Fernandes, Durante convenção do PPS


A vereadora Pollyana Gama (PPS), candidata a prefeita de Taubaté, insurgiu-se contra matéria publicada neste blog (leia aqui) e recorreu à Justiça Eleitoral para pedir direito de resposta.

Adianto que o pedido foi negado pelo juiz da 407ª Zona Eleitoral porque “a matéria em comento, veiculada pelo representado (Irani lima – grifo meu) em seu blog, consiste na divulgação de um depoimento prestado por empresário do ramo de atividade em serviços de limpeza pública à Assessoria Jurídica especializada em crimes praticados  por Prefeitos do Ministério Público do Estado de São Paulo.

O juiz eleitoral João Carlos Germano entendeu que, “com efeito, em nenhum momento a representante (Pollyana Gama – grifo meu) contestou a autenticidade do documento (...), qualificando negativamente o exercício do jornalismo praticado pelo representado, que macula sua reputação de pessoa pública”.

No processo 30-87.2016.6.26.0407, o juiz eleitoral afirma em sua decisão que “nesse cenário, não se vislumbra, por parte do representado a afirmação caluniosa, difamatória, injuriosa, ou sabi9damwnte inverídica, uma vez que divulgou o fato, de inegável interesse público, no exercício de sua profissão de jornalista”.

Pollyana não precisava recorrer à Justiça para pedir direito de resposta.

Bastava um telefonema, como fez recentemente o marido da vereadora, deputado Davi Zaia, que exerceu seu direito de resposta sem precisar acionar a Justiça, como esta.

AQUI, A ÍNTEGRA DE MINHA RESPOSTA AO JUIZ ELEITORAL DA 407ª ZE

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 407ª ZONA ELEITORAL DE TAUBATÉ, ESTADO DE SÃO PAULO

RESPOSTA A PEDIDO DE RESPOSTA


                                               IRANI GOMES DE LIMA, brasileiro, viúvo, jornalista, portador da cédula de identidade RG nº 6.106.570-5, inscrito no CPF/MF sob o nº, 737.689.958.87, residente e domiciliado na Rua Octávio Rodrigues de Souza, nº 75, Bloco 2, Apto 103, interfone 9, Parque Paduan, Taubaté/SP, CEP 12070-790, dono e responsável pelo blog www.iranilima.com, na rede mundial de computadores, em cumprimento ao mandado desse Juízo peço vênia para responder ao questionamento e à solicitação de direito de resposta formulado pela vereadora POLLYANA FÁTIMA GAMA SANTOS, indicada candidata a prefeita pela coligação PPS/PV/ PCdoB/PRB/PTN/PSL no dia 30 de julho pp.

Passo a responder nestes termos;

1) A vereadora Pollyana´Gama se insurge contra matéria divulga em meu blog: “BOOOM! BOMBA EXPLODE E ATINGE ORTIZ JUNIOR E VEREADORES”. O link desta postagem para acesso eletrônico é este: (...) - segue cópia impressa da postagem aludida.

2) A ilustre vereadora me conhece muito bem, sabe da minha lisura profissional, mas preferiu recorrer à Justiça para obter o direito de resposta que jamais me furtaria a publicar, mesmo que criticasse meu blog ou minha postagem.

3) A nobre edil não precisaria recorrer aos serviços de um advogado para obter, de mim, o que sempre considerei direito de quem se sente ofendido por uma informação jornalística. O direito de resposta, para mim, é sagrado.

4) Não levei para o lado pessoal os comentários feitos nas redes sociais pela vereadora, contendo críticas à minha postagem. É um direito inalheável, que jamais questionarei.

5) Objetivamente, sobre a matéria questionada e sobre a qual o direito de resposta é pedido por meio desse Juízo, esclareço que não fiz nenhum juízo de valor sobre a declaração de um empresário ao Ministério Público de São Paulo, reproduzida na íntegra em meu blog (cópia anexa).

6) O empresário cita, além da nobre vereadora, os vereadores Luizinho da Farmácia e Jeferson Campos os quais, até onde tenho conhecimento, não responderam à minha postagem nas redes sociais nem me acionam judicialmente.

7) Quero entender a queixa da vereadora e pré-candidata a prefeita de Taubaté, Pollyana Fátima Gama Santos, como uma resposta aos seus possíveis eleitores diante da declaração que não foi feita a mim, mas ao Ministério Público.

8) Quem diz que a vereadora supostamente recebeu propina não foi eu. Foi o empresário ao Ministério Público. Em meu blog só reproduzi o documento.

9) Considero infeliz o assentamento feito pela ilustre mulher pública de que meu blog “não só é bastante conhecido nos bastidores do meio político, inclusive, pelos erros que comete, ou seja, pelo que no meio jornalístico é chamado de ‘barrigadas’”.

10) A tática de desqualificar uma testemunha ou o autor de uma matéria jornalística, como a que suscitou o pedido de resposta da nobre vereadora, é sobejamente conhecida nos meios forenses, pois, dessa forma, tenta convencer o julgador a favorecer o reclamante.

11) “Barrigada”, ou “barriga”, no jargão jornalístico, se refere a matéria falsa ou errada, publicada com o estardalhaço de uma grande novidade.. O oposto de ‘furo’”, conforme o Dicionário de Jornalismo, disponível na rede mundial de computadores no endereço eletrônico http://dicionariodejornalismo.blogspot.com.br/2010/08/barriga.html.

12) Estranha e me choca este assentamento, pois a ilustre vereadora jamais reclamou ou insinuou que cometi “barrigadas” nas postagens que a interessavam e publicadas em meu blog.

13) Fiz inúmeras postagens sobre a atividade política da vereadora nos últimos anos, todas favoráveis à mulher pública que é. Ela jamais reclamou das tais ”barrigadas”.

14) Anexo à presente a) cópia reprográfica da declaração do empresário João Leandro Terra de Biagi ao Ministério Público, na capital paulista, b) cópias reprográfica de duas postagens, das muitas que fiz, sobre a atuação política da vereadora Pollyana Fátima e c) cd (compact disc) contendo os links para acessar parte das postagens mencionadas acima.

26/04/12

23/05/12

18/06/12

19/06/12

24/06/12

28/06/12

02/07/12
04/07/12
08/08/12