Páginas

domingo, 4 de setembro de 2016

CONDENADO PELA JUSTIÇA FEDERAL,
PEIXOTO ARRASTA A FAMÍLIA CONSIGO

Roberto Peixoto arrasta toda a família em sua condenação pela Justiça Fderal
A primeira denúncia pública de que estaria havendo desvio de verba da merenda escolar e na compra de remédios pelo prefeito Roberto Peixoto foi feita por este blog, no dia 31 de março de 2011. (Leia aqui). Foi também o primeiro processo infligido a mim por uma autoridade.

É normal que o nome do ex-prefeito Roberto Pereira Peixoto apareça como destaque em todas as mídias, inclusive nas redes sociais, como o principal condenado pela Justiça Federal por crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

O processo 0038655-07.2009.4.03.0000 atinge 13 réus: Roberto Pereira Peixoto, Luciana Flores Peixoto, Fernando Gigli Torres, Luciane Prado Rodrigues, José Eduardo Touso, Renato Pereira Junior, Carlos Anderson dos Santos, Marco Aurélio Ribeiro da Costa, Cristiane Veturi, Pedro Henrique da Silveira, Gustavo Bandeira da Silva, Marcelo Gama de Oliveira e José Benedito Prado.

Roberto Peixoto, Carlos Anderson, Pedro Henrique, Marcelo Gama e Gustavo Bandeira da Silva respondem por fraude em licitação (Art. 89, 90 e 92 da lei 8.666/93) e a contratação da empresa Acert para gerenciar o Programa Farmácia Popular e a distribuição de medicamentos à população.

No mesmo crime incorrem Roberto Peixoto, Luciana Peixoto, Fernando Gigli, Luciane Prado Rodrigues, José Benedito Prado, Marco Aurélio Ribeiro da Costa e Cristiane Veturi, pela contratação da Sistal e da E.B. Alimentação para o fornecimento “mediante valores superfaturados de merenda escolar às crianças matriculadas nas creches e escolas do Município de Taubaté/SP, a pretexto de cumprimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar”, segundo relatório do Ministério Público Federal.

O ex-prefeito Roberto Peixoto, a ex-primeira-dama Luciana Peixoto, Fernando Gigli, Luciane Prado Rodrigues, José Eduardo Touso, Renato Pereira Junior, Marco Aurélio Ribeiro da Costa e Cristiane Veturi estão incursos nos crimes de responsabilidade de prefeito (Decreto-lei 201/67, combinado com art. 1º, inciso I, do Código penal) “pela apropriação e desvio, em proveito próprio e de terceiros, de valores oriundos dos cofres públicos federais que deveriam ter sido aplicados em benefício da população do Município de Taubaté/SP;

Respondem por lavagem de dinheiro (Lei 9.613/98) e formação de quadrilha (|Art. 288 do Código Penal) Roberto Peixoto, Carlos Anderson dos Santos, Fernando Gigli, Luciane Prado Rodrigues, José Eduardo Touso e os filhos do casal Roberto e Luciana Peixoto Roberta Flores de Alvarenga Peixoto, Viviane Flores de Alvarenga Peixoto e Felipe Flores de Alvarenga Peixoto “pela ocultação e dissimulação da origem e da propriedade de valores e bens oriundos de crimes contra a Administração Pública”.

Além da esposa Luciana Flores Peixoto, os filhos do casal, Roberta Flores de Alvarenga Peixoto, Viviane Flores de Alvarenga Peixoto e Felipe Flores de Alvarenga Peixoto estão envolvidos no processo 0014631-07.2012.4.03.0000 (lavagem de dinheiro). No mesmo processo estão incluídos Fernando Gigli Torres e José Eduardo Touso

Os processos continuam em segredo de justiça, por isso o teor da sentença condenatória ainda não foi divulgado.