Páginas

terça-feira, 20 de setembro de 2016

DE CRUZEIRO, A CARTA DO PROFESSOR


Fabrício Peres, professor

Caro Irani, boa noite.

Tenho acompanhado aqui de Cruzeiro sua constante luta contra o silêncio da Grande Mídia (mais conhecida como mídia Golpista), que ataca duramente qualquer político, militante, simpatizante de esquerda, ou qualquer outra pessoa, que munida do mínimo de bom senso, coragem, e sentimento republicano, se coloque contra o Golpe de Estado em andamento no Brasil.

A mesma mídia que silencia diante da excrescência política e eleitoral que está acontecendo em Taubaté, onde um político cassado consegue se manter na corrida eleitoral, apesar de todas a irregularidades cometidas.

Escrevo essa mensagem não apenas para parabenizá-lo, mas para expressar minha preocupação com o fato de que grande parte dos militantes defensores da democracia de Taubaté, preocupados, e com razão, em defender a retomada do Governo Federal por um representante democraticamente eleito e, portanto, legítimo, estejam se preocupando menos com os fatos em andamento em Taubaté.

Se vivemos uma aberração política na esfera federal, tanto quanto vive o município de Taubaté, que tem entre seus candidatos um político constitucionalmente desqualificado, que tenta manipular a legislação conforme suas necessidades.

As campanhas contra a candidatura de Ortiz Júnior precisam ser amplas e visíveis, devem ser abraçadas por toda a militância taubateana que se coloca contra o atual governo golpista que tenta se manter na Esfera Federal.

Independentemente do candidato a prefeito escolhido por cada um desses militantes, é preciso que todos se manifestem de forma dura, ampla e contínua contra uma candidatura que desrespeita a legalidade e acima dela, a moralidade do processo eleitoral.

Se nesse momento o "Fora Temer" precise ecoar no país inteiro, Taubaté precisa impor um "Fora Ortiz", pois não é aceitável que mais uma vez, e de forma ainda mais repugnante, o poder econômico, que sustenta um pelotão de advogados, supere o desejo de mudar da população taubateana. Não moro mais em Taubaté, não trabalho mais em Taubaté, mas por não desejar futuro semelhante a município algum do país, espero que mais pessoas assumam a luta contra anomalia eleitoral.