Páginas

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

POR QUE TAUBATÉ PODE TER
VEREADOR/PREFEITO EM 2017?

Justiça Eleitoral indica Pollyana (PPS) e Saud (PMD|B) como concorrentes ao 2] turno eleitoral em Taubaté. Será?
Para nós, simples mortais, que não entendemos o funcionamento da Justiça, fica difícil compreender por que tantos adiamentos do julgamento do recurso eleitoral de Ortiz Jr, que combate o indeferimento de sua candidatura a prefeito de Taubaté.

Como entender o que aconteceu?

29/09 – quinta-feira, três dias antes das eleições municipais:

·         - O recurso eleitoral de Ortiz Junior é incluído na pauta de julgamento 87/2016, que seria realizado no dia seguinte.

30/09 – sexta-feira, dois dias antes das eleições municipais:

·         O recurso é tirado da pauta de julgamentos e enviado pela Coordenadoria das Sessões, concluído, para o Gabinete do Juiz de Direito 03.
·         O juiz relator, Luiz Guilherme da Costa Wagner recebe o processo às 16h49.

02/10 – Domingo. Eleição. Os votos de Ortiz Junior são “zerados” pela Justiça Eleitoral.

04/10 – Às 12h29, a Coordenadoria das Sessões do TRE-SP inclui o recurso de Ortiz na pauta de julgamento  89/2016 do dia 05/10.

05/10 – O recurso é mais uma vez retirado da pauta de julgamento e devolvido ao gabinete do juiz eleitoral Luiz Guilherme da Costa Wagner, que o recebe às 17h03.

O impasse jurídico deixa o leitor taubateano cada vez mais confuso.

Afinal, a votação em Ortiz Junior seria capaz de levá-lo a uma improvável absolvição nas cortes eleitorais de São Paulo ou de Brasília?

Nossas leis são confusas e acabam se sobrepondo umas às outras, num emaranhado de leis, artigos, incisos, alíneas, parágrafos que só os especialistas entendem, quando entendem.

Não há a menos possibilidade de Ortiz Junior ser absolvido. Até os bambus do Bonfim sabem disto.

Pela morosidade da Justiça Eleitoral paulista, fica difícil acreditar que teremos segundo turno em Taubaté, que seria disputado por Saud (PMDB) e Pollyana (PPS).

Persistindo o impasse, ninguém será diplomado prefeito de Taubaté quando dezembro chegar.

O prefeito de Taubaté em 2017 pode ser o próximo presidente da Câmara Municipal, até a confirmação de nova eleição municipal pelo TRE-SP.

Esta era a aposta de Ortiz Junior. Criar o caos eleitoral em Taubaté.

O exército de advogados de Ortiz Junior, todos de primeira linha, caros e bem relacionados nos tribunais, encontram as brechas necessárias para manter o tucano respirando, nem que seja por aparelhos.

Nada, no entanto, será capaz de mudar a Lei da Ficha Limpa:

Ortiz Junior está inelegível. Não poderia ser candidato. Mas foi!