Páginas

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

AMANHÃ É NATAL


Camões Filho*

Parece que foi ontem que vivemos a expectativa da virada do milênio. O momento especial de nossas vidas, assistir a chegada do século 21 e o terceiro milênio. Quando criança, ouvia assustado os relatos dos mais velhos dizendo que o mundo de 2000 não passaria. E ficava imaginando a chegada dos 4 cavaleiros do Apocalipse, igual vira na matinê do Cine Palas.

Pois o ano 2017 chega daqui a pouco com muita pompa e circunstância, foguetes, perus e champanhe, e logo estará se arrastando igual aos tempos de antanho, com os mesmos percalços, as mesmas crises, com uma ou outra coisa boa pingando aqui e ali.

De repente, a areiazinha da ampulheta está minguando e a gente percebe que 2016 já escorreu por entre nossos dedos e 2017 está à espreita, todo serelepe, prontinho para fazer sua estreia. Assim, os dias se sucedem tão rápidos que nem nos damos conta... de repente, amanhã já é Natal outra vez...

O ano velho vai-se embora. Deixará saudades em nós? Como ele será lembrado? Foram tantas as lutas, decepções, alegrias, realizações, frustrações, crise econômica e moral. Fazendo um inventário do ano, estamos saindo felizes ou de coração partido?

Fim de ano é tempo de fazermos às pressas aquilo que enrolamos durante doze meses. Pôr a papelada em ordem. Arrumar as gavetas, o guarda-roupa. Prometer iniciar aquele regime, caminhar mais, melhorar a alimentação. Perder alguns quilinhos.

Confesso que estou me repetindo com as mesmas resoluções de ano que está acabando. Será que desta feita vou cumpri-las? E eis me outra vez jogando em cima da cama toda minha roupa, separando aquilo que não vou usar mais, enfiar em um saco grande e doar para quem precisa mais do que a gente. Vai me dizer que você também não está fazendo exatamente igual?

De repente, no meio da papelada, encontro um velho texto falando do ano que está chegando ao fim. E o que aconteceu? Tivemos forças para enfrentarmos os problemas? Em alguma família amiga um filho querido talvez tenha adentrado pelos escuros caminhos das drogas, mas a coragem foi tanta que deu suporte nos momentos amargos. O lar, tão tranquilo outrora, esteve ameaçado por terríveis tempestades... quase sucumbiu... mas os laços fortes do amor o sustentaram.

A separação promovida pela morte dilacerou as fibras mais sutis da alma... mas a fé em Deus e a certeza da imortalidade conseguiram cicatrizá-las. A enfermidade cruel nos visitou ou visitou os entes queridos, mas a fé e a confiança conseguiram afastá-la.

Enfim, foram tantas dores, tantos momentos amargos... mas também tantas alegrias, tantas vitórias. Amanhã é Natal. E Natal é tempo de fraternidade, perdão, solidariedade. E porque amanhã é Natal, reunamo-nos todos os que lutamos juntos, na alegria e na dor, e que apesar de tudo permanecemos unidos.

Olhemos para a mãezinha a quem chamamos o ano inteiro para pedir roupa limpa, comida, e digamos: Mãe, o que seria da minha vida sem você? Eu te amo, mãezinha querida. Ao pai a quem só nos dirigimos para pedir dinheiro, carro emprestado, essas coisas, falemos com carinho: Olá, paizão! Apesar de não ter o costume de dizer, eu te amo! Tenho certeza de que minha vida não teria sentido sem você.

Acerquemo-nos daquele irmão com quem não conversamos, olhemos nos seus olhos e falemos: Olá, mano! Que bom ter você no meu caminho! Aproximemo-nos daquele filho rebelde, e falemos com ternura: Filho, você é a estrela da minha estrada! Sem você a vida não teria sentido.

E, porque amanhã é Natal, busquemos a nossa empregada, que chega à nossa casa muitas vezes antes do sol nascer e só vai embora depois que o último filho chega do colégio, para cozinhar, lavar a louça e deixar tudo em ordem, e digamos: Minha amiga, precisamos uns dos outros, que bom poder contar com você por mais um ano! E porque amanhã é Natal... olhemos para nosso chefe e falemos o quanto ele tem sido importante em nossa vida, pois nos ajuda a ganhar o pão de cada dia.

Amanhã é Natal. Abrace a pessoa amada com o mais terno abraço e não tenha vergonha de lhe dizer: Eu te amo! Diga agora, pois você poderá não ter outros natais para fazer essa declaração.

Amanhã é Natal. O Menino Jesus vai nascer mais uma vez para nos abençoar. Abra a sua porta – e principalmente, abra o seu coração – e deixe-o entrar.

Amanhã é o dia do amor, da paz, da confraternização.

Afinal, amanhã é Natal!...

*Camões Filho, jornalista, escritor e pedagogo, é membro titular da Academia Taubateana de Letras.

E-mail para contato com o Autor: camoesfilho@bol.com.br