Páginas

domingo, 8 de janeiro de 2017

GUARÁ FILHO ESTREIA NESTA 2ª FEIRA
COMO "SÓCIO" DA REDE DIFUSORA

Guará Filho sorri, mas sua trajetória política é nebulosa e brevemente lhe dará dor de cabeça. Aguardem...
Guará Filho (PR) tem motivo de sobra para aparecer sorrindo gostosamente na foto. Afinal, "herdou" o Sindicato dos Servidores Municipais, escapou das intimações da CPI da Saúde, enganou a Polícia, se elegeu vereador e assume, nesta segunda-feira (09/01) o jornalismo da Rede Difusora.

Na prática, Guará Filho torna-se "sócio" da emissora fundada por seu Emílio Beringhs, que foi dirigida com competência pelo filho Emilinho até cair nas mãos dos netos.

O filho do Augusto Cesar Guará não comprou apenas o horário da sete da manhã da Rede Difusora, o horário nobre do rádio.

Guará Filho comprou todo o jornalismo da rádio por módicos R$ 10 mil (se é possível acreditar neste valor).

Só para que se tenha uma pequena  ideia, o ano passado Guará Filho pagava R$ 15 mil por mês para ocupar uma hora por dia na grade da Difusora AM.

Agora o vereador deverá pagar R$ 10 mil por mês para comandar o jornalismo da Difusora em AM e FM, teoricamente para um público maior uma vez aque será um programa em duas emissoras.

Mas não é só isso.

A partir esta segunda-feira, Guará Filho passa a comandar todo o jornalismo da Difusora, inclusive as transmissões externas.

O edil colocará todo o seu subsídio para pagar a Difusora pela compra que fez?

Só os ingênuos acreditarão que sim.

Agora façam as contas: o operador do horário das sete da manhã receberá o salário de Guará Filho, bem como os repórteres que estarão à disposição do novo apresentador do jornal da Rede Difusora.

Há a possibilidade de até duas viaturas, com o logotipo da emissora, circularem pelas ruas da cidade, tudo bancado pelo "sócio" do jornalismo da emissora.

Guará Filho não tem diploma de jornalismo, registro de radialista ou qualquer outro documento que o habilite profissionalmente para a função.

É um engodo radiojornalístico!

ALO ! ALO! MINISTÉRIO PÚBLICO, QUE TAL INVESTIGAR?

1) Guará Filho nunca pagou e nem deverá pagar a Difusora com cheque ou transferência bancária eletrônica. Isto impede o rastreamento do dinheiro pelo Banco Central. É crime, portanto!

2) Com o subsídio de vereador é impossível fazer frente a tanta despesa como os salários dos funcionários que serão contratados.

3) Não estaria o vereador lavando dinheiro por meio e sua empresa de intermediação de negócios, conforme matéria publicada neste blog o ano passado?

4) Acesse este link e saiba o que é a empresa de Guará Filho. O caso não é apenas de Ministério Público. Se quiserem,as autoridade da Receita Federal e do Ministério do Trabalho podem fazer suas investigações.

Nesse mato tem coelho!